Incensário de Vidro Octavado com Pavão - Conhecimento/Artes - Aroma & Magia
  Carregando... Por favor, aguarde...
Contate-nos por e-mail!
Aroma & Magia

Incensário de Vidro Octavado com Pavão - Conhecimento/Artes

  • Imagem 1

Preço:
R$ 14,94
Duvida:
Entrega:
Quantidade:

Descrição do Produto

Esse queimador de incensos vertical, em vidro, com a pintura de um pavão estilizado, em branco, no fundo azul claro, possui um contraste que o deixa inigualável, além do suporte transparente e quadrado (liso embaixo e rústico por cima, meio cônico), dá um charme a mais nesse queimador de incensos, pois o torna uma linda peça decorativa, em qualquer lugar, claro que além de proporcionar o essencial: a queima de seus incensos.

O Pavão é um símbolo da ressurreição e do Cristo, tal qual a Fênix que também é considerada como sendo um símbolo solar.

Na mitologia grega é considerado como sendo um dos animais atribuídos a deusa Hera. É ainda considerado como sendo um símbolo da imortalidade e da totalidade, muito embora sua imagem esteja associada à vaidade.

O Pavão simboliza também bondade, generosidade e magia. Ele possui um antigo conhecimento de magia e é capaz de trabalhar a energia para criar tudo o que quer.

Na Índia suas penas são utilizadas para afastar espíritos malignos.

No Xamanismo Ancestral existe o Clã do Pavão, que rege o elemento Fogo.

O pavão é antes de tudo um símbolo solar; o que corresponde ao desdobramento de sua cauda em forma de roda.

O pavão é também, no Bardo-Thodol, o trono de Buda Amitabha, ao qual correspondem a cor vermelha o elemento fogo.

É ainda nesse caso o símbolo da beleza e do poder de transmutação, pois a beleza de sua plumagem é supostamente produzida pela transmutação espontânea dos venenos que ele absorve ao destruir as serpentes.

Sem dúvida, se trata aí, acima de tudo, de simbolismo da imortalidade. Interpretado assim na Índia, é um fato que o próprio Skanda transforma os venenos em bebida de imortalidade.

Nos Jataka budistas, o pavão é uma forma do Bodhisattva, sob a qual ele ensina a renúncia aos apegos mundanos.

No mundo chinês, o pavão serve para exprimir os votos de paz e de prosperidade.

Na tribo maa do Vietnã do Sul, os homens se enfeitam com penas de pavão no cabelo: isso os identifica, sem dúvida, com o mundo dos pássaros; mas talvez signifique igualmente que estão relacionados ao simbolismo da irradiação solar. O pavão é, no Vietnã, um emblema de paz e de prosperidade (BELT, BENA, DAMS, DANA, DURV, EVAB, GOVM, KRAA, MALA, PORA)

Na tradição cristã, o pavão simboliza também a roda solar e, por esse fato, é um signo de imortalidade; sua cauda evoca o estrelado.

Note também que na iconografia ocidental representa às vezes os pavões bebendo no cálice eucarístico.

No Oriente Médio, eles são representados de um e de outro lado da Árvore da Vida: símbolos da alma incorruptível e da dualidade psíquica do homem.

Ele se encontra na escultura romana e no simbolismo funerário (CUMS).

Símbolo cósmico para o Islã: quando ele faz a roda, figura seja o Universo, seja a lua cheia ou o sol no zênite.

Uma lenda sufista, provavelmente de origem persa, diz que Deus criou o Espírito sob a forma de pavão e lhe mostrou sua própria imagem no espelho da Essência divina. O pavão foi tomado de um temor respeitoso e deixou cair algumas gotas de suor, do qual todos os outros seres foram criados.

O desdobramento da cauda do pavão simboliza o desdobramento cósmico do Espírito (BURD, 85).

Nas tradições esotéricas, o pavão é um símbolo de totalidade, na medida em que reúne todas as cores no leque de sua cauda aberta. Ele indica a identidade de natureza do conjunto das manifestações e sua fragilidade, visto que elas aparecem e desaparecem tão rapidamente quanto o pavão abre e fecha o seu leque.

Os iezides, originários do Curdistão, nos quais há que notar certas semelhanças com os monges sufistas e com os budistas, dão uma grande importância à força chamada Malik Taus, o Anga-Pavão, no qual se unem os contrários.

Sarasvati é a Deusa associada ao conhecimento, à música e às artes. Ela é a companheira de Brahma, o Deva responsável pela criação do universo. Juntamente com Lakshmi e Parvati, formam a trindade de Deusas (Tridevi). É geralmente representada com roupas brancas (às vezes amarelas), sendo associada a um cisne ou a um pavão. É identificada, muitas vezes, com deusas que aparecem nos textos indianos mais antigos (Vedas): Vak (a Palavra), Savitri ou Gayatri (nome da oração mais sagrada dos Vedas). É a Deusa asssciada à sabedoria sagrada, e por isso se diz que os Vedas são seus filhos. Seu nome quer dizer, literalmente, "aquela que flui", e estava associada a um rio, na mitologia antiga. Muitas imagens de Sarasvati a representam com quatro braços, em um dos quais segura um livro (os Vedas), em outra um rosário indiano (mala) com contas de cristal, representando meditação e espiritualidade, em outro um pote com água sagrada, representando purificação, e por fim um instrumento musical de cordas (Vina) que representa a perfeição nas artes.

É símbolo da ressurreição, da imortalidade e da totalidade. É emblema da sabedoria e do conhecimento oculto. Na Índia é considerado um animal sagrado e está presente em todas as manifestações das divindades hindus. Sua cauda representa o céu estrelado e em seu corpo estão escondidos os 12 signos do zodíaco. Sua coroa semelhante a uma estrela de seis pontas simboliza sua magnitude e poder. É o símbolo da ressurreição pois no inverno suas plumas caem e se regeneram na primavera.

O Pavão com sua simbologia em várias interpretações e em culturas diferentes é tido pela beleza, por trocar de plumagem todos os anos, o Pavão na Índia é a ave nacional, apoteótica, por sua cauda chamativa, simboliza a totalidade,entre os cristãos, simboliza a ressurreição (voltei, cheguei), sua coroa na cabeça simboliza os sete raios, também lhe é conferida o símbolo do conhecimento oculto.

Se você gosta de belos objetos e com muitos significados, sejam eles esotéricos ou não, aja rápido, pois trouxemos apenas uma peça para um de nossos amigos bem especiais.

Feito em vidro, pode ser aquele "algo mais" que você procurava para queimar seus incensos sem deixar as cinzas caírem no local onde você acendeu.

As cinzas do incenso ficarão alocadas em seu recipiente e você as joga fora quando ele acabar de queimar.

Adquirindo esse incensário, aproveite e compre também seus incensos (nacionais ou indianos) em nossa loja.

Dimensões aproximadas: 9 cm de diâmetro (octavado com as partes laterais inclinadas para cima) e 2,5 cm de altura (possui embaixo uma base quadrada - 6,5 cm - com inclinação contrária à superior, em vidro transparente liso de um lado e áspero no outro), incluindo o local (metal) para a inserção do incenso.

 

Peça para nossos amigos de excelente bom gosto!

Encontrar produtos similares pela categoria

Deixe seu comentário sobre o produto

Comentários sobre o produto

Este produto não foi comentado ainda. Seja o primeiro a comentar sobre este produto!

Últimos Visualizados por você:

Os últimos produtos visualizados:


Aroma & Magia
Televendas:
info@aromaemagia.com.br
Horário de Atendimento:
24 Horas no Ar!
 

São Paulo - Capital - Não Possuímos Loja Física